segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dom Quixote - Engenheiros do Hawaii - Interpretação


Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos mas sempre no horário
peixe fora d'água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
na ponta dos cascos e fora do páreo
puro sangue, puxando carroça

Um prazer cada vez mais raro
aerodinâmica num tanque de guerra,
vaidades que a terra um dia há de comer.
"Ás" de Espadas fora do baralho
grandes negócios, pequeno empresário.

Muito prazer me chamam de otário
por amor às causas perdidas.

Tudo bem, até pode ser
que os dragões sejam moinhos de vento

Tudo bem, seja o que for
seja por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas

Tudo bem…até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento

Muito prazer…ao seu dispor
Se for por amor às causas perdidas
por amor às causas perdidas


No trecho em que ele fala: “peixe fora d’água borboletas no aquário” ele esta falando de como as coisas estão fora do lugar, ou seja, um cara varrendo como gari na rua quando se ele tivesse tido oportunidade ou estudado, poderia ser um ótimo medico. Na parte que ele fala: “puro sangue puxando carroça” (puro sangue é uma raça de cavalos valiosíssima), alguém já viu um puro sangue puxando carroça?!
Mas tem muitos por ai. “Muito prazer me chamam de otário
por amor às causas perdidas.” Ele se apresenta como um bom moço que chamam de otário por amor a sociedade que é uma causa perdida por causa desse caos de puros sangues puxando carroça. Em alguns trechos dessa letra de Humberto Gessinger, ele expõe sua visão sobre a minúscula parte pensante da humanidade, que infelizmente não tem vez e nem voz (excluídos por saberem demais?! Talvez!)  sendo soterrada pelo sistema social e pela classe dominante ( A “elite” que sendo “elite” deveria dar exemplo mas que por sinal é hipócrita e estúpida). Na parte em que ele diz: “tudo bem, até pode ser que os dragões sejam moinhos de vento...” alem de fazer ilusão à historia Dom Quixote (a música é totalmente baseada no livro Dom Quixote, o cavaleiro enlouqueceu e achava que os moinhos de vento eram dragões, que é uma pérola da literatura universal), refere-se também, a importância exagerada em que as vezes damos a determinados problemas que pensamos que sejam dragões quando na verdade são simples moinhos de vento. Resumindo tudo, essa música é um desabafo geral, de quem quer levar a vida de maneira correta, com princípios, ética, moral, bom senso e boa vontade com o próximo e é visto como um atrasado, um otário mesmo, é aquele que respeita as regras enquanto tá todo mundo furando fila, andando pelo acostamento enquanto ele enfrenta o engarrafamento, é aquele que respeita as vagas de idosos e deficientes, é aquele que cede o lugar no ônibus para uma gestante ou idoso enquanto a maioria vira o rosto e finge dormir, é aquele que não paga e nem recebe propina e nem suborno, é aquele que sai com os amigos e toma sua cerveja e volta para casa de taxi ou entrega a chave do carro para alguém que não bebeu, é aquele que não troca seu voto por “rapadura”, é aquele que grita contra os governantes desse país enquanto os outros simplesmente aguentam calados, que no Brasil é considerado como um otário, mas um otário com uma consciência tranquila no final do dia, e além de tudo que tem compromisso com a sociedade e muitas vezes simplesmente quer todos os seus direitos.
O melhor disso tudo, desses comentários todos é a interpretação de cada um para uma música. Sem igual é viajar na letra e sonhar por fora desse mundo chamado terra, em que a realidade vem com o primeiro telejornal

9 comentários:

Anônimo disse...

Fazer "alusão"...rs não ilusão.
Perfeita sua interpretação.
Corrobora meu entendimento.

Ailton Almeida disse...

parabéns, perfeita sua interpretação !

Emerson Cobain disse...

que bosta de interpretação, cara muito ruim.. a parte que o gari podia ser um medico foi hilário, eu também poderia ser, só que eu não estudei para ser. pensa um pouquinho antes de postar uma babaquice dessa.

Danielly Guedes disse...

Sabe o que é uma bosta? Esse seu discurso meritocrata Emerson, se não gostou: beleza! Cada pessoa tem o direito de interpretar como achar melhor e outra, o blog É MEU e posto nele o que eu quiser.

Henrique Almenara disse...

Parabéns Danielly, muito obrigado por compartilhar sua interpretação.
Sobre a alusão ao gari, achei espetacular, hoje sou policial militar por ter estudado e passado em um concurso, mas eu poderia ser muito mais se eu quisesse e tivesse estudado um pouco mais. Hoje eu luto por amor as causas perdidas defendendo a sociedade, rs.

Unknown disse...

Excelente interpretação.

Marcio Assunção disse...

Otima interlretacao, essa musica e linda, eu viajo nela

Marcio Assunção disse...

Otima interlretacao, essa musica e linda, eu viajo nela

Victor Hugo disse...

Ótima interpretação. Muitas partes bem sóbrias e analogias legais. Eu tenho pontos parecidos mas saliento a lance da guerra, desigualdade política, social e econômica. Visto que o CD dançando no campo minado foi bem pós 11 de setembro e tem toda aquela temática de guerras que estouraram após esse evento. Acho que em Dom Quixote além do lado social como você mencionou, o Humberto liga essa desigualdade com essa coisa irracional, cruel e triste do ser humano guerrear.
Parabéns!